Banner Super Topo (728x90) Géssica
Fogos de artifício

Cuidados com os pets nas comemorações de fim de ano

Tutores devem ficar atentos com enfeites da decoração e alimentos, além do medo que os bichinhos possuem dos fogos de artifício

28/12/2020 19h06
Por: Redação
Fonte: DogHero

No último mês do ano, período de comemorações, a mudança de comportamento das pessoas mostra um cenário diferente de anos anteriores, decorrente do enfrentamento da pandemia no Brasil. Tanto que, em um estudo divulgado pelo KAYAK, a maioria dos entrevistados revelou a preferência por viagens somente dentro do país (49%).

Em casa, as celebrações de Natal e Ano Novo trazem também a companhia dos pets, que são considerados parte da família. Desta maneira, para mantê-los seguros e saudáveis, a médica veterinária Thaís Matos, que atua na área de Confiança & Segurança da DogHero, maior empresa de serviços para pets da América Latina, explica que é preciso supervisionar os animais de estimação.

"Mesmo durante essas ocasiões especiais os tutores precisam manter a rotina do seu pet, tanto quanto possível. O horário regular de alimentação, sono e caminhada. É preciso ficar de olho e perceber se há mudanças que demonstrem ansiedade, depressão ou no apetite do animal de estimação. O medo e o estresse causados pelo show de fogos do Ano Novo podem gerar trauma e fazer mal para o cãozinho, portanto deve-se evitar que ele passe por uma situação crítica sem nenhum tipo de cuidado ou amparo", declara.

A especialista reforça ainda que, os pais e mães de pets necessitam tomar outros cuidados, como o de não permitir que ofereçam qualquer outro tipo de alimento diferente do que o pet já consome. "Produtos típicos das refeições de fim de ano podem fazer mal para os animais de estimação, como uvas (in natura) e uvas passas , frutas cristalizadas no geral chocolate, macadâmia, ameixa, pêssego, cebola e carnes temperadas".

Também atenção com os objetos de decoração e enfeites natalinos, que podem ser engolidos pelos cães, principalmente os filhotes. Os gatos amam fios e coisas penduradas, portanto luzes, pisca-pisca devem ficar fora do alcance dos pets para evitar choques e acidentes, de preferência devem ser mantidas no alto.

Se tiver crianças no ambiente, procure supervisionar, pois elas podem querer brincar e abraçar o pet, isso talvez o deixe arisco. Caso ele demonstre algum incômodo ou medo com a movimentação, é importante respeitar o espaço do animalzinho e deixá-lo separado.

Queima dos fogos de artifício - Uma tradição para comemorar a virada do ano, porém assustadora para os animais de estimação, principalmente os cães. O som dos fogos causa medo nos cachorros, que por natureza ouvem mais alto. Com isso, eles podem apresentar ações como respiração ofegante, salivação excessiva, taquicardia (batimento cardíaco acelerado), tremedeira, os pets também podem , se esconder, fugir ou até ter consequências mais graves. Portanto, o tutor precisa estar por perto durante a queima de fogos para tranquilizá-lo. Por conta da ansiedade, o cãozinho pode ficar pedindo colo, pulando ou chorando. Desta maneira, um ótimo jeito de fazer o pet perceber que está em segurança, é oferecer os petiscos ou brinquedos que ele mais gosta, com animação e sorrindo. Os cães entendem muito bem nossas expressões faciais e é muito importante que o tutor não se mostre preocupado com o medo dele.

Pet dentro de casa - Para conseguir ficar de olho neles e oferecer um ambiente fechado e seguro, o pai ou a mãe de pet deve mantê-lo dentro de casa, nunca do lado de fora, e em apenas um cômodo (sala ou quarto). Esse espaço deve estar preparado para o animal de estimação, livre de possíveis rotas de fuga ou acidentes. O ideal é retirar todos os objetos que possam oferecer algum risco, que ele possa derrubar ou quebrar. Se o cãozinho escapar, por exemplo, e se esconder embaixo da mesa, da cama, cadeiras ou em qualquer outro lugar, o tutor não deve tentar tirá-lo de lá, pois escondidos eles se sentem mais seguros e tentar tirá-los pode deixá-los mais nervosos, acabar em fuga ou mordida. Levando em consideração todo o contexto que envolve as comemorações de fim de ano, o pet poderá tentar fugir se sentir medo. Por isso, o tutor deve manter portas e portões sempre fechados e pedir para que todos da casa sigam a mesma instrução. Atenção para as janelas, frestas e qualquer outro pequeno espaço aberto, pois pode ser uma oportunidade ideal para escapar. Lembre-se de ficar atento ao comportamento dos pets durante as celebrações e, caso o tutor note algo estranho, deverá procurar a ajuda de um médico veterinário.

Sobre a DogHero

A DogHero é a maior empresa de serviços para animais de estimação da América Latina. Pelo seu app e site, conecta quem tem pet a anfitriões, pet sitters, passeadores e veterinários que ajudam na rotina e cuidam dos pets quando os pais têm uma viagem, algum compromisso ou necessitam de uma consulta em casa. Atualmente, a comunidade de heróis conta com mais de 25 mil cuidadores em cerca de 750 cidades no Brasil, que passam por um extenso e rigoroso cadastro e recebem orientação adequada. A DogHero foi fundada em 2014 pelos empreendedores brasileiros Eduardo Baer e Fernando Gadotti.

Quer ser o primeiro a saber das notícias do Vale Paranapanema? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.